6 Momentos Lindos que Vivi Fotografando Crianças Especiais

Às vezes quando olhamos uma imagem, não sabemos o que está por trás de cada registro. Quando há uma história, o retrato passa a ter um significado totalmente diferente. Deixa de ser só uma foto bonita.

 

Ao longo de 2018, eu fotografei mais de 20 crianças com diversas necessidades especiais e vou compartilhar com você agora algumas das mais marcantes.

1   OS GIRASSÓIS

Manu é uma menina com paralisia cerebral, nistagma e autismo. Sua condição faz com que ela viva no seu mundinho e fotografá-la é um desafio. Sua mãe Jéssica relata a decepção ao levá-la em um estúdio fotográfico e não sair "nada dali". O fotógrafo precisa entender e respeitar a condição de cada criança, sem forçar a barra. Elas devem ser registradas brincando e não posando, por isso eu gosto de fotografar em lugares abertos, onde possam brincar.

 

O meu ensaio com a Manu foi em um sítio. Ela passou boa parte do ensaio enfiando a mão na terra e se sujando toda. Perfeito! Antes de irmos embora, a levamos até uma horta com alguns girassóis e abrimos a mangueira. Ao começar a se molhar, ela parou ali, botou as mãos pra cima e começou a sorrir, admirando as gotas. 

 

Todo o ensaio foi filmado. Você pode ver os bastidores aqui.

2   A BANANEIRA

Quem vê essa foto, pode imaginar que foi um erro a fotógrafa ter deixado a criança tão "torta" e com um semblante desconfortável. Mas é necessário entender como ela foi feita para ver o quão especial ela é.

A Síndrome de West é uma condição rara onde a criança pode sofrer várias convulsões por dia. Geralmente, quem tem a síndrome também é acometido de paralisia cerebral e autismo.

 

Beatriz e Miguel são gêmeos, ela com a saúde perfeita e ele acometido da Síndrome de West. Ele não tem sustentação do corpo. Para sentar, é necessário deixá-lo encostado em um tronco e ainda assim, cai para os lados. A mãe Kelly queria muito uma foto dos irmãozinhos juntos, mas parecia impossível. Antes do ensaio acabar, fizemos mais uma tentativa. O pai arrancou uma folha de bananeira, colocou no chão e posicionou o Miguel e a Beatriz debaixo da árvore. Tentamos até que desse certo e eis a lembrança que a Kelly vai poder guardar pra vida toda.

3   A MENINA QUE NÃO PARAVA DE SORRIR

Em julho de 2018, Ana Carolina começou a sentir fortes dores. Seu caso passou de médico em médico. Foi diagnosticada com luxação, com artrite, tomou corticóides e fez vários tratamentos. Todos em vão. As dores eram tantas que ela parou de andar. Somente 6 meses mais tarde veio o diagnóstico certo: estava com LLA (leucemia linfóide aguda). Após o início da quimioterapia, as dores passaram e ela voltou a andar.

Apesar de todo o sofrimento, ela era só sorrisos no ensaio. Ela se tornou a garota propaganda da campanha de apadrinhamento do Hospital de Câncer de Londrina. Sua foto circula por toda a cidade em cartazes afixados nos ônibus. Toda vez que ela via um ônibus passando, procurava por sua foto.

No início de maio, ela não resistiu ao câncer. Mas toda vez que penso nela, penso nas gargalhadas que deu durante o ensaio. Ana Carolina ficará para sempre na minha memória como a criança mais sorridente que já conheci.

4   O MENINO NO BOSQUE

Eu queria dar uma recordação à família do Davi diferente: um retrato do menino onde ele é só uma criança feliz e nada mais. Se eu tivesse fotografado o Davi no seu aparelho que o mantém de pé, o aparelho teria chamado a atenção na foto e não o Davi.

Na lisencefalia severa, o cérebro é liso ao invés de rugoso. A criança tem então dificuldades respiratórias, paralisia cerebral e sem sustentação do corpo ou pescoço. Para fotografá-lo sentado, o deixamos escorado em uma árvore, mas caía logo para os lados. Tentamos várias vezes até conseguir fazer essa foto. Para a ocasião, levei uma cachorrinha de uma ONG local, com paralisia em sua cadeira de rodas.

O olhar distante do Davi, segundo sua mãe, era porque ele estava maravilhado com as árvores e não conseguia parar de olhá-las.

5   O BANHO NA HORTA

Quem vê o Davi (mais um!) sorridente assim, não imagina que ele chorou por meia hora quando demos início ao ensaio. Por isso eu sempre digo às mães, o melhor sempre vem no final, quando a criança está relaxada e uma maneira infalível de fazer a criança relaxar é botar água no meio. Até hoje, não houve um ensaio sequer onde tivesse água no meio que ela não começasse a se soltar e à brincar.

Davi que tem Síndrome de Down foi fotografado na APAE junto com um cachorrinho, que estava para adoção. Após muitas tentativas, as fotos foram saindo e ele se soltando, mas foi só no final, ao brincar na horta que ele se divertiu de verdade, não parando de sorrir e correr de um lado para o outro.

6   O URSINHO QUE FALAVA ESPANHOL

Esse é um dos ensaios mais comoventes que fiz. Rebecca estava em um momento crítico: precisava urgentemente de um doador de medula óssea. Sua mãe Patríccia estava desesperada, pois nenhum dos irmãos poderia doar medula à ela. Sua chance de sobreviver era de 1 em 100.000 (veja aqui a campanha).

Sua saúde era muito delicada e por isso, não podia ter contato com animais. Então comprei um urso no Paraguai para interagir com ela nas fotos. Demos boas risadas ao apertar a pata do urso e perceber que ele cantava em espanhol!

Algumas semanas depois, veio a notícia mais esperada: um doador 100% compatível havia sido encontrado! Hoje Rebecca está totalmente curada da leucemia e estamos aguardando seu cabelo voltar a crescer para repetir a foto acima, com os cabelos crescidos!

Eu adoraria conversar com você sobre como eu posso te ajudar contar a história da sua família e realmente retratar a infância dos seus filhos de maneira divertida e única!

Preencha o formulário abaixo para que eu possa entrar em contato.

Você irá ganhar um retrato fine art de presente!

PREENCHA O FORMULÁRIO PARA GANHAR UM RETRATO FINE ART